porno sex sifresiz mac izle online film seyret r57 c99 shell


Deputados dizem que governo entregou a toalha no combate à violência

Em reunião do Conseg, secretário de Defesa Social, Eduardo Tavares, disse que só um santo poderia reduzir índices de criminalidade rapidamente



miniaturaA declaração do secretário de Estado de Defesa Social, Eduardo Tavares, de que ‘apenas um santo’ teria condições rapidamente minimizar o caos na segurança pública em Alagoas, repercutiu na Assembleia Legislativa de Alagoas.

Para os deputados petistas Judson Cabral e Ronaldo Medeiros, a declaração demonstra que o governo do Estado jogou a toalha nas ações de combate à criminalidade.

Como exemplo do que considera ser um descaso por parte da gestão do governador Teotonio Vilela Filho (PSBD), Cabral aponta a falta de diálogo – durante a operação padrão deflagrada pelos agentes da Polícia Civil – entre Executivo e classe sindical.

Na edição deste domingo, o Programa Fantástico, da Rede Globo, escancarou o sentimento de medo que domina a população maceioense. Para Judson Cabral, a falta de compromisso do governo estadual no que diz respeito à segurança pública ‘não é nenhuma novidade’.

“Há muito tempo, deputados e especialistas apontam que são necessárias mudanças no atual modelo de combate à criminalidade. E a declaração do secretário mostra que o governo seu deu, lamentavelmente, por vencido, entregando a toalha. Infelizmente, esta é a Maceió em que vivemos, é o estado em que sobrevivemos”, disse Judson.

Ainda na avaliação de Judson, enquanto o Estado não tomar como prioridade as ações de caráter social, a violência seguirá fazendo vítimas em Alagoas. “Precisamos de ações sérias, voltadas para o contexto social. Hoje, não temos isso.

Os adolescentes estão nas ruas, ao lado do crime. Sem incentivo para atividades fora da sala de aula, não há como tirar o jovem desse mundo de vícios. Existe um caminho para reverter tudo isso, mas falta vontade para torná-lo realidade”, reforçou Judson.

Como presidente da Comissão Especial da Assembleia que acompanha a execução do plano Brasil Mais Seguro, o deputado Ronaldo Medeiros classificou como ‘infeliz’ a declaração de Tavares. O petista também recordou que, desde a implantação do plano de segurança – uma iniciativa do governo federal -, os resultados foram colocados em xeque.

“Como esperar uma mudança de cenário quando não se busca solução para a área social? E podemos constatar que muito pouco mudou em nosso estado. E o governo federal tem feito sua parte, enviado milhões em recursos para equipamentos e contratação de pessoal”, afirmou.

Enquanto isso, segundo Medeiros, muitas escolas da rede estadual segue abandonadas. “Tem de haver um choque de realidade com este plano de segurança. As pessoas mostram os problemas, mas o governo do estado insiste em ignorá-los. É preciso lembrar que quem sofre com isso é o povo, que não aguenta mais tamanha insegurança”, emendou.

Na sessão do Conselho Estadual de Segurança Pública desta segunda-feira (24), Tavares reconheceu que a violência assola os alagoanos, mas atribuiu a onda de criminalidade “à conjuntura”. “Os números realmente são alarmantes. Em 2013, a PM [Polícia Militar] cruzou os braços, mas a culpa foi da conjuntura.

Estamos trabalhando para baixar esses números”, afirmou o secretário, visivelmente chateado com a atuação da imprensa, que vem denunciando o sucateamento das forças de seguranças, a falta de efetivo e o número de homicídios.

Fonte: GazetaWeb


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Estadão Alagoas 2016 | Todos os Direitos reservado - Desenvolvido por Interactive Monkey