porno sex sifresiz mac izle online film seyret r57 c99 shell


Revista gay americana escolhe papa como personalidade do ano



Papa Francisco. Foto: Alberto Pizzoli/AFP Photo

O papa Francisco, que já foi escolhido personalidade do ano pela revista Time, foi eleito para ocupar o mesmo posto por outra publicação, desta vez dedicada à comunidade gay e lésbica.

A revista “Advocate” escolheu o lider da Igreja Católica como a “pessoa mais influente de 2013 para a vida dos integrantes da comunidade LGBT.”

A escolha é surpreendente, já que a Igreja tem se envolvido, constantemente, em conflitos com comunidades de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais, devido à sua oposição ao casamento homossexual e à homossexualidade em geral.

“Se 2013 será lembrado pelo trabalho de centenas de pessoas para a promoção da igualdade de casamento, o ano também será lembrado pelo exemplo de um homem”, escreveu a revista online, ao anunciar a sua escolha.

Em julho, o papa afirmou que não “julgaria” homossexuais. Essa observação, de acordo com a revista, “tornou-se um sinal para os católicos e para o mundo de que o novo papa não é como o antigo.”

Francisco “ainda não disse que a Igreja Católica apoia as uniões civis” entre casais do mesmo sexo, mas os comentários que ele fez “já causaram reflexão e consternação na Igreja.”

Como líder de 1,2 bilhão de católicos pelo mundo, a publicação acredita que “quer queiram ou não, o que ele diz faz diferença”.

De acordo com a “Advocate”, nenhum dos pontos de discordância entre a comunidade gay e os católicos – como o papel social das mulheres e a utilização de métodos contraceptivos – “deve nos levar a subestimar a capacidade de qualquer papa de convencer corações e mentes a se abrirem a membros da comunidade LGBT, não só nos Estados Unidos, mas no mundo todo”.

A comunidade americana de defesa dos direitos dos homossexuais foi particularmente bem sucedida em 2013 na sua luta pela legalização do casamento de pessoas do mesmo sexo.

Em junho, a Suprema Corte derrubou a “Lei de Defesa do Casamento”, que restringia os benefícios federais do casamento aos casais heterossexuais.

 

Agência France Press


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Estadão Alagoas 2016 | Todos os Direitos reservado - Desenvolvido por Interactive Monkey