porno sex sifresiz mac izle online film seyret r57 c99 shell


Governo convoca 370 monitores para escolas do Estado



largeA Secretaria de Estado da Educação e do Esporte de Alagoas (SEE) convocou 370 monitores, que passaram no último processo seletivo realizado pela pasta, para a assinatura do contrato temporário de trabalho, num prazo de dez dias.

As duas convocações, uma para monitores do ensino básico e outra para monitores da educação especial, foram feitas por meio da edição digital do Diário Oficial do Estado, na edição da última segunda-feira (23), a partir da página 09. As listas podem ser conferidas no site da SEE (www.educacao.al.gov.br) e do Diário Oficial (www.doeal.com.br).

De acordo com a chefe da Coordenadoria Especial de Gestão de Pessoas da SEE, Kátia Carvalho, foram convocados 253 monitores para educação básica e 117 para educação especial.

“Essas pessoas têm dez dias, a contar da publicação do resultado no Diário Oficial, para se apresentarem às Coordenadorias Regionais de Educação (CREs), munidos da documentação exigida no Edital”, informa Kátia Carvalho.

Ainda segundo ela, nas CREs, os monitores convocados assinam o contrato temporário de serviço e são encaminhados às escolas ou às repartições onde vão trabalhar.

“A vigência do contrato varia de acordo com o cargo e função exercida pelo monitor, mas geralmente gira em torno de um ano renovável por mais um ano”, explicou a coordenadora.

Carências

Kátia explica que a maioria dos monitores foi contratada para suprir carências de forma imediata que não foram atendidas pelo último concurso público da pasta, realizado em janeiro.

O processo também contempla as disciplinas que não foram beneficiadas pelo cadastro de reserva técnica composto pela última seleção de monitores, realizada em 2012 e com vigência até novembro de 2014.

Entre os convocados pela Secretaria no dia 23 de junho, há monitores para várias disciplinas do ensino fundamental e médio. Eles vão lecionar em escolas da capital e do interior do Estado, substituindo professores afastados do serviço por problemas de saúde.

“As vagas foram preenchidas conforme a demanda, suprindo as carências que tínhamos em várias disciplinas, fruto de afastamentos em geral, como por exemplo, licença médica, bem como para atender às disciplinas que não tiveram um quantitativo satisfatório de aprovados no concurso público realizado este ano”, explicou Kátia Carvalho.

Para ela, a contratação de monitores não acarreta prejuízo aos aprovados no último concurso público, até porque foi respeitada a ordem de classificação, conforme exige o edital.“Ofertamos vagas, nessa seleção de monitores, apenas onde o concurso não conseguiu atender a demanda”, concluiu.

por Ricardo Rodrigues


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Estadão Alagoas 2016 | Todos os Direitos reservado - Desenvolvido por Interactive Monkey