porno sex sifresiz mac izle online film seyret r57 c99 shell


Caso Houly: ‘Laudo atesta que médica atirou de longa distância,’



{438c9634-9969-4ad9-978e-c899e699b701}_20140321_090009

O advogado Welton Roberto, assistente de acusação do julgamento do assassinato do ex-vereador Daniel Houly, disse que a acusação trará uma prova definitiva para a condenação da médica Tânia Medeiros, um laudo técnico elaborado pela Polícia Federal atestando que a médica efetuou dois disparos de longa distância contra Daniel Houly, desconstruindo a tese de tentativa de suicídio defendida por ela. Segundo Roberto, a acusação pretende comprovar o caráter de premeditação do crime.

Já a defesa da médica, feita pelo advogado José Fragoso, irá defender que não houve crime. Segundo o advogado, Houly teria se ferido de forma acidental, por um disparo efetuado pelo próprio Houly em meio a uma discussão e que a médica tentou salvar a vida do marido. A principal testemunha de defesa é a filha de Tânia Medeiros, Liana Medeiros, que estava no apartamento no dia do crime.

Com teses tão conflitantes, o julgamento do caso Daniel Houly é, de longe, o mais complexo julgado nessa Semana Nacional do Júri, e acontece na manhã desta sexta-feira, dia 21, na Escola Superior de Magistratura (Esmal), no bairro do Farol.

O julgamento dá uma mostra da influência e poder aquisitivo das duas famílias. Durante toda a semana, familiares e amigos de vítima e acusada promoveram atos públicos, publicações de notas oficiais, além de trocas de acusações. Hoje, o auditório da Esmal é dividido igualmente entre os defensores da condenação e absolvição.

Camisetas, cartazes e muita expectativa cercam o julgamento, que será presidido pelo juiz Edvaldo Landeosi.

Relembre o caso

Daniel Houly morreu após ser ferido dentro do seu apartamento, no bairro de Jatiúca, em Maceió, há 15 anos. Sua mulher à época, Tânia Medeiros, diz que o marido efetuou o disparo contra si e que tinha alterações de comportamento. A médica afirma que tentou conter o sangramento e levou o marido a um hospital particular, onde veio a óbito devido a um ferimento na artéria femoral.

A família de Daniel Houly, no entanto, afirma que a médica matou o marido pois este pretendia se separar dela. Houly foi ex-deputado, ex-vereador e pertencia a uma das famílias mais tradicionais de Arapiraca.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Estadão Alagoas 2016 | Todos os Direitos reservado - Desenvolvido por Interactive Monkey