porno sex sifresiz mac izle online film seyret r57 c99 shell


Aécio: ações do PT tornam ‘natural’ aproximação do PSDB com PMDB

Pré-candidato Presidência negou 'cooptação' de peemedebistas. Comissões na Câmara chamaram 9 ministros para esclarecimentos.



1O senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato à Presidência da República, afirmou nesta quarta-feira (12) que “é natural que haja aproximações” do PSDB com o PMDB, em meio à insatisfação do partido com o governo federal. O senador, no entanto, negou estar fazendo “cooptação”. Esta foi a primeira vez que o parlamentar comentou a crise na base aliada do governo.

“O PSDB nasceu de uma costela do PMDB. Quanto mais o PT faz valer seu projeto hegemônico – que não busca aliados, mas apoiadores – é natural que, em função das realidades locais, haja uma aproximação [do PSDB com PMDB]. Isso não é uma estratégia do PSDB. É algo natural”, declarou. “Eu não vejo apenas no PMDB. Eu vejo um distanciamento muito grande de setores que hoje apoiam o governo, inclusive na sociedade”, completou.

Nesta quarta, a base aliada do governo na Câmara, liderada pelo PMDB, provocou nova derrota para o governo ao convocar quatro ministros para prestarem esclarecimentos na Casa sobre diferentes assuntos. Também foram aprovados, em diferentes comissões, convites para a presidente da Petrobras, Maria da Graça Foster, e outros cinco integrantes do primeiro escalão do governo prestarem esclarecimentos aos parlamentares.

Na terça-feira, o plenário da Câmara aprovou a criação de uma comissão externa que deverá acompanhar, na Holanda, as investigações de denúncias de que funcionários da Petrobras receberam suborno da empresa holandesa SBM Offshore. A aprovação ocorreu graças à formação do chamado “blocão”, grupo de parlamentares da base aliada insatisfeitos com a atenção que o Executivo federal tem dado ao Congresso Nacional.

Para Aécio, a crise na base aliada resulta do que ele diz ser “arrogância” do governo.

“A crise contaminou o Congresso, paralisou as discussões na Câmara. Essa crise é consequência daquilo eu já anunciávamos há muito  tempo, de um governo eu não quer aliados, quer vassalos […]. Tudo isso é consequência da arrogância com que o PT vem conduzindo o governo, e agora colhe esses frutos”, declarou.

Questionado sobre a aproximação de peemedebistas a tucanos especificamente no estado do Rio de Janeiro, Aécio disse “receber sinais”. “Eu recebo sinais, até porque tenho amizades com companheiros do PMDB do Brasil inteiro, mas não busco cooptação. Eu acredito nas coisas naturais da política”, afirmou.

 

Fonte: G1


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Estadão Alagoas 2016 | Todos os Direitos reservado - Desenvolvido por Interactive Monkey