porno sex sifresiz mac izle online film seyret r57 c99 shell


Papa diz a mafiosos: ‘Mudem de vida ou irão para o inferno’

Francisco celebrou missa em memória das vítimas do crime organizado na Itália



Em uma cerimônia realizada anualmente em memória das centenas de vítimas do crime organizado italiano, o papa Francisco fez um apelo solene aos mafiosos: mudem de vida ou “acabarão no inferno”. “O poder e o dinheiro que vocês têm agora, de tantos negócios sujos e crimes mafiosos, um dinheiro ensanguentado, um poder ensanguentado, vocês não poderão levar para a vida eterna. Ainda há tempo para vocês se converterem e não terminarem no inferno”, alertou Francisco, em Roma, diante de uma igreja lotada com quase mil pessoas – a grande maioria parentes de vítimas, que seguravam cartazes com as fotos de seus familiares assassinados.

O-papa-Francisco-durante-uma-cerimonia-na-Basilica-de-Sao-Pedro-no-Vaticano-size-598

Apesar de ter um poder muito menor do que aquele acumulado até o final dos anos 1980, a máfia continua a atormentar grande parte do sul da Itália: somente na segunda-feira, um menino de 4 anos de idade foi morto a tiros, junto com sua mãe e o namorado dela, perto da cidade sulista de Taranto, em uma ação da qual o crime organizado é suspeito.

Ao final da emotiva cerimônia, onde foram lidos os nomes de quase 900 pessoas mortas pela máfia, Francisco pediu que os familiares das vítimas não percam a força de seguir adiante e não desistam da luta contra a corrupção. Aos criminosos, o papa disse que ainda há tempo de se arrepender. “Mudem as suas vidas. Se transformem. Parem de fazer o mal. Ainda há tempo para ficar fora do inferno. Isso é o que está esperando por vocês, se vocês continuarem neste caminho.”

Histórico – As palavras de Francisco lembraram as João Paulo II, que, em 1993, fez um chamado aos mafiosos para “se arrependerem, porque um dia vocês terão de enfrentar o julgamento de Deus”. A posição clara de Francisco é importante porque, segundo investigadores italianos, os chefes mafiosos muitas vezes tentam estabelecer laços com sacerdotes locais como forma de ganhar respeito e legitimidade dentro de suas comunidades.

(Com agências Reuters e EFE)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Estadão Alagoas 2016 | Todos os Direitos reservado - Desenvolvido por Interactive Monkey