porno sex sifresiz mac izle online film seyret r57 c99 shell


Cabeça achada na Sé é de corpo de Higienópolis, diz secretaria

Secretário da Segurança divulgou informação neste sábado. Partes serão submetidas a exames de DNA.



Sem títuloA Secretaria da Segurança Pública confirmou neste sábado (29) que a cabeça encontrada quinta-feira (27) na Praça da Sé pertence à mesma pessoa que teve o corpo esquartejado encontrado domingo (23) perto do Cemitério da Consolação, em Higienópolis.

A informação foi divulgada pelo secretário da Segurança Pública, Fernando Grella, durante entrega de carros de polícia em Santos, no litoral de São Paulo.

“A perícia já confirmou que aquela cabeça encontrada é da vítima. Evidente que agora vão ser feitos exames de DNA de todas as partes do corpo e procurar estabelecer a identidade dessa pessoa, que é um fator também importante para a linha de esclarecimento. A polícia está trabalhando intensamente nisso. Nós pedimos prioridade à Polícia Científica, que forneça os resultados das perícias o mais rápido possível para a o delegado de polícia e nós vamos acompanhar. Evidentemente que não é um caso comum.”

A polícia vai buscar também fazer a reconstrução gráfica do rosto.Essa reconstrução será utilizada na tentativa de identificar a vítima em um banco de dados de desaparecidos.O retrato deverá ficar pronto no início da semana. Outro fator que pode ajudar na identificação da vítima é a análise da arcada dentária.

A polícia também já requisitou as gravações do sistema de videomonitoramento da Guarda Civil Metropolitana (GCM) na Praça da Sé.

A cabeça tem um ferimento e a face está irreconhecível. A polícia estima que ela pertencia a um homem de 30 a 40 anos. A polícia chegou a fazer uma varredura na região da Sé, quarta-feira (26), mas nada encontrou. O saco teria sido abandonado no local após essa busca.

O desempregado Paulo Pereira Pimentel contou ter visto o saco onde estava cabeça perto do espelho d’água, na Praça da Sé, na quinta-feira (27). “Eu vinha subindo e me deparei com aquele saco cheio de bicho. Eu fui ver o que tinha lá dentro. Eu peguei uma faca e cortei o papel para ver o que tinha. Eu simplesmente vi que era uma cabeça humana”, contou. A Guarda Civil Metropolitana (GCM) foi chamada.

A Polícia Civil analisa imagens de câmeras de segurança para tentar esclarecer o crime. Uma das imagens obtidas pelos investigadores mostra o suspeito de deixar o homem esquartejado em Higienópolis de perfil, em um ângulo que poderá levar ao reconhecimento dele.

O vídeo revela um rapaz jovem, de cabelos bem curtos. Às 7h41 de domingo (23), o suspeito passou por uma câmera de segurança puxando um carrinho de feira. Ele usava chinelos brancos, bermuda cinza e uma blusa de moletom. Em seguida, desceu a Rua Itacolomi.

Outra câmera, do mesmo prédio, mostra que o carrinho parece cheio e pesado. O suspeito então virou à direita e entrou na Rua Sergipe. Câmeras de outros dois condomínios registraram o caminho que o homem percorreu. As imagens mostram o rapaz caminhando pela rua e parando por pelo menos duas vezes para arrumar os pacotes, que estão dentro do carrinho de feira.

Depois, ele voltou a andar pela Rua Sergipe, sempre puxando o carrinho, e na esquina atravessou a rua. O suspeito foi visto por várias pessoas durante o caminho. Na esquina com a Rua Sabará, ele abandonou o primeiro saco plástico.

Na terça-feira (25), o SPTV mostrou que o suspeito desceu a Rua Sabará no instante seguinte e desapareceu. A policia suspeita que ele tenha ido pegar outras partes da vítima, abandonadas em locais diferentes de Higienópolis. O IML tenta confirmar o horário da morte e descobrir detalhes que possam ajudar na investigação.

A polícia cruza informações sobre desaparecidos para descobrir quem é a vítima. Enquanto isso, investigadores caminham pelo bairro em busca de pistas. Eles conversaram com moradores, mas até agora ninguém disse conhecer o suspeito.

Quem tiver informação sobre o rapaz mostrado no vídeo pode ligar para o Disque-Denúncia, no número 181. Não é preciso se identificar.

 

 

Fonte: G1


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Estadão Alagoas 2016 | Todos os Direitos reservado - Desenvolvido por Interactive Monkey