porno sex sifresiz mac izle online film seyret r57 c99 shell


Após 20 dias no hospital, Oscar Schmidt recebe alta

Ídolo do basquete brasileiro, que sofreu uma arritmia cardíaca no dia 17 de fevereiro, continua tratamento contra o câncer em sua casa



Oscar Schmidt já havia tranquilizado seus fãs e comunicado, na segunda-feira, dizendo que estava bem, apesar de estar internado há 20 dias no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, por causa de uma arritmia cardíaca. Poucas horas depois de enviar a mensagem, a maior estrela do basquete brasileiro recebeu alta e continuará em sua casa o tratamento contra o câncer no cérebro, uma batalha que ele trava desde 2011.

oscarschmidt_facebookAos 55 anos, o Mão Santa sofreu uma arritmia cardíaca no dia 17 de fevereiro. Ele foi hospitalizado, embora os médicos afirmassem que o problema não era grave e que não tinha relação com o câncer. Felipe Schmidt, filho do ex-jogador, contou que o pai estava sendo mantido internado mais por precaução dos médicos, que tentavam descobrir a causa da arritmia.

Em 2002, em plena atividade, Oscar sofreu uma arritmia cardíaca durante os playoffs do Campeonato Estadual do Rio, mas se recuperou e acabou levando o Flamengo ao título carioca daquela temporada.

Oscar é considerado um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos. O ex-atleta é o recordista mundial de pontos, com 49.703, superando o americano Kareem Abdul-Jabbar. O recorde é extraoficial, pois não havia súmulas de todos os jogos de Oscar no Brasil. Em setembro do ano passado, o brasileiro foi eternizado ao entrar no Hall da Fama do basquete de Springfield, em Massachusetts, nos Estados Unidos

O Mão Santa foi o líder de um dos maiores feitos do basquete mundial. Em 23 de agosto de 1987, o Brasil foi campeão dos Jogos Pan-Americanos ao bater os Estados Unidos em Indianápolis, casa dos americanos, na final.

Oscar também foi bronze no Mundial de 1978, nas Filipinas. O ex-jogador participou de cinco Olimpíadas (Moscou, Los Angeles, Seul, Barcelona e Atlanta). A melhor colocação do Mão Santa com a seleção brasileira foi um quinto lugar, em Barcelona, 1992, e Seul, 1988.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Estadão Alagoas 2016 | Todos os Direitos reservado - Desenvolvido por Interactive Monkey